Veja abaixo a nossa newsletter com matérias sobre saúde do coração e diabetes.

Tá na mídia

Para notícias internacionais e outros materiais, como infográficos, fotos e vídeos sobre o diabetes e outras áreas terapêuticas, visite o site global da Novo Nordisk clicando aqui (em inglês).

Matérias

Por que o diabetes tipo 2 afeta tanto a saúde do coração do brasileiro?

No Brasil, 80% dos portadores de diabetes tipo 2 apresentam sinais de risco cardiovascular.

Saúde do coração do brasileiro

O diabetes mellitus se caracteriza pelo acúmulo excessivo de açúcar (glicose) no sangue, condição conhecida por hiperglicemia. Enquanto em alguns casos é a produção insuficiente de insulina pelo pâncreas (diabetes tipo 1) que causa a doença, outros se explicam pela atuação ineficaz desse hormônio no organismo, e até mesmo pela junção destes dois fatores (diabetes tipo 2).

Altamente tóxica, a permanência de níveis elevados de glicose no sangue – acima de 126 mg/dl em jejum e acima de 200 mg/dl até duas horas após uma refeição – pode ser definida como uma perigosa via de mão dupla. Isso porque a hiperglicemia pode tanto levar ao diabetes quanto o diabetes não controlado pode gerar crises de hiperglicemia.¹

E o resultado desse ciclo extremamente prejudicial à saúde é o aumento considerável nas chances de problemas severos surgirem e/ou evoluírem, entre eles: doenças renais e cardiovasculares, problemas na visão, lesões de membros inferiores, infecções persistentes etc.

Diagnóstico tardio

Embora esperado o contrário, muitas dessas complicações são detectadas junto com a descoberta do diabetes, ou até mesmo antes. “Avanço” que geralmente ocorre em pacientes com diabetes tipo 2 (DM2), e por uma razão bastante lógica: o diagnóstico tardio.

É que como a hiperglicemia se desenvolve de forma gradual, o que em estágios iniciais dificulta a percepção dos sintomas clássicos do diabetes, é comum que a patologia seja notada somente com meses ou anos de sua existência. Tanto que quase 1/3 dos brasileiros com DM2 que já têm a doença ainda nem sabem.²

E, então, pela demora em iniciar o controle da glicemia, as chances de lesões avançadas e/ou irreversíveis em órgãos-alvos já estarem em andamento é altíssima. Principalmente quando o assunto é o coração.

Diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares

Como aponta a Associação Americana do Coração (AHA, sigla em inglês), obesidade, tabagismo, sedentarismo, hipertensão, colesterol e triglicérides altos, bem como uma dieta rica em gorduras e açúcares, são alguns exemplos de risco aumentado para doenças cardiovasculares (DCV).³

Sem falar que grande parte das ocorrências se dá em pessoas com idade mais avançada. Isto é, com fatores de risco totalmente atrelados ao desenvolvimento do diabetes tipo 2, o que explica o fato das DCV serem muito comuns nesses pacientes.

Se levarmos em conta que mais de 15,7 milhões de adultos têm diabetes mellitus no Brasil⁴, que cerca de 90% dos casos são de DM2⁵ e, desse montante, quatro em cada 10 apresentam doença cardiovascular⁶, podemos dizer que o diabetes tipo 2 está entre os principais fatores danosos à saúde do coração.

É o que comprova estimativa retratada no estudo intitulado “Quando o Diabetes Toca o Coração”, realizado por nós da Novo Nordisk em parceria com a Revista Saúde (Grupo Abril) e o EndoDebate, que aponta que 80% dos brasileiros com DM2 apresentam sinais de risco cardiovascular.⁷

DM2 e as doenças mais comuns do sistema cardiovascular

Com base no cenário acima descrito, não tem como ser diferente: dois em cada três óbitos de portadores de diabetes se dão por causas relacionadas ao coração. Mais precisamente, 66% das mortes desses pacientes são motivadas por complicações decorrentes de doenças do sistema cardiovascular.⁸

Importante destacar que, entre as DCV, a doença arterial coronariana – que é uma consequência do processo de aterosclerose – é a mais letal quando o assunto é o diabetes, sendo responsável por 75% dos óbitos.⁹

Oportuno dizer que a aterosclerose é um quadro clínico crônico que promove um ambiente totalmente favorável ao desenvolvimento de várias doenças cardiovasculares, como ataques cardíacos, derrames e insuficiência cardíaca.¹⁰ Isso porque, ao longo do tempo, promove o endurecimento e estreitamento das artérias do coração e de outras localidades do corpo.

Outros problemas coronários muito comuns relacionados ao diabetes são: batimentos cardíacos irregulares (arritmias), acidente vascular cerebral (AVC) e doença vascular periférica (DVP), com a devida observação que esta última acomete principalmente os membros inferiores.¹¹

Controle o diabetes e proteja seu coração!

Realizar acompanhamento médico de rotina e adequado, o que significa procurar por ajuda não apenas quando emergências acontecem, é vital para o bom funcionamento do coração. E para o controle do diabetes também, já que uma coisa está bastante interligada à outra.

Além disso, a prevenção de doenças cardiovasculares depende da manutenção da glicemia em taxas ideais. Ainda que seja necessário tomar medicamentos para isso, conforme ilustra o CAPTURE, primeiro estudo global destinado a avaliar a prevalência e risco de DCV em pessoas com diabetes tipo 2.

Segundo o estudo, de cada 10 pessoas com DM2 e doença cardiovascular ouvidas pela pesquisa e que foram medicadas para reduzir a glicose, duas conseguiram baixar a glicemia e, de quebra, tiveram benefício cardiovascular comprovado.¹²

E lembre-se: um bom gerenciamento da glicemia pode ser conseguido com a ajuda de práticas cotidianas saudáveis que devem ser seguidas à risca, principalmente por pacientes com diabetes tipo 2.¹³ São elas:

  • Realizar regularmente atividades físicas;
  • Impedir acúmulo excessivo de gordura corporal;
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas;
  • Manter-se longe de cigarros;
  • Seguir uma dieta balanceada que priorize frutas, hortaliças (legumes, verduras e leguminosas), grãos integrais, água, leite e derivados desnatados, e com foco no consumo moderado de carboidratos.

Diabetes e distúrbios que afetam o coração ou os vasos sanguíneos usualmente andam de mãos dadas. Então toda precaução é pouca quando a intenção é manter a saúde em dia e preservar a vida!

Nota Importante: O conteúdo deste site não substitui a necessidade de acompanhamento médico para fins de diagnósticos e aconselhamentos. Não desconsidere ou altere tratamentos orientados por profissionais da saúde e busque por atendimento clínico sempre que necessário.

 
 
  1. Instituto de Assistência à Saúde dos Servidores do Estado de Alagoas (IPASEAL). Disponível em: http://ipaseal.al.gov.br/aviso/item/2012-fique-atento-aos-sintomas-de-excesso-de-acucar-no-sangue - Visualizado em 03/11/21.
  2. Associação de Diabetes Juvenil (ADJ). Disponível em: https://adj.org.br/2021/11/12/idf-divulga-dados-sobre-o-diabetes-no-brasil/ - Visualizado em 28/11/21.
  3. American Heart Association (AHA /Associação Americana do Coração). Disponível em: https://www.heart.org/en/health-topics/diabetes/diabetes-complications-and-risks/cardiovascular-disease--diabetes - Visualizado em 04/11/21.
  4. International Diabetes Federation (IDF/Associação Internacional de Diabetes) – IDF Diabetes Atlas 2021, 10ª edição. Disponível em: https://diabetesatlas.org/data/en/country/27/br.html - Visualizado em 28/11/21.
  5. Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC). Disponível em: https://www.sbac.org.br/blog/2018/11/26/qual-a-situacao-da-diabetes-no-brasil/ - Visualizado em 28/11/21.
  6. Estudo CAPTURE. Disponível em: https://www.quemvediabetesvecoracao.com.br/content/dam/brazil/affiliate/www-quemvediabetesvecoracao-com-br/documents/2_CAPTURE%20%20results%20template%20infographic_FINAL.pdf - Visualizado em 28/11/21.
  7. Quando o Diabetes toca o Coração – Novo Nordisk. Disponível em: https://www.quemvediabetesvecoracao.com.br/content/dam/brazil/affiliate/www-quemvediabetesvecoracao-com-br/documents/Quando_o_diabetes_toca_o_coracao.pdf - Visualizado em 04/11/21.
  8. Quem Vê Diabetes Vê Coração – Novo Nordisk. Disponível em: https://www.quemvediabetesvecoracao.com.br/ - Visualizado em 04/11/21.
  9. AZEVEDO, S.; VICTOR, E.G.; OLIVEIRA, D.C. Diabetes mellitus e aterosclerose: noções básicas da fisiopatologia. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/1679-1010/2010/v8n6/a1603.pdf - Visualizado em 28/11/21.
  10. American Diabetes Association (ADA/Associação Americana de Diabetes). Disponível em: https://www.diabetes.org/diabetes/type-2/diabetes-and-your-heart/diabetes-affect-your-heart - Visualizado em 04/11/21.
  11. Liga Interdisciplinar de Diabetes (LIDIA) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Disponível em: https://www.ufrgs.br/lidia-diabetes/2020/09/14/diabetes-e-doencas-cardiovasculares/ - Visualizado em 04/11/21.
  12. Estudo CAPTURE. Disponível em: https://www.quemvediabetesvecoracao.com.br/content/dam/brazil/affiliate/www-quemvediabetesvecoracao-com-br/documents/2_CAPTURE%20%20results%20template%20infographic_FINAL.pdf - Visualizado em 05/11/21.
  13. Associação Beneficente Síria – Hcor. Disponível em: https://www.hcor.com.br/imprensa/noticias/diabetes-e-uma-das-principais-causas-para-doencas-no-coracao/ - Visualizado em 04/11/21.

Contato Imprensa

Approach Comunicação


Carolina Landi - carolina.landi@approach.com.br - Tel: +55 (21) 99462-2448

Matheus Steinmeier - matheus.steinmeier@approach.com.br - Tel: +55 (11) 96566-7194

Júlia Baptista - julia.baptista@approach.com.br - Tel: +55 (11) 97535-8165

Mariana Geraldine - mariana.geraldine@approach.com.br - Tel: +55 (11) 98932-1448

Fale sempre com seu médico.

Acompanhamento com seu médico de confiança e realização de exames regulares podem ajudar você a controlar o diabetes, além de colaborar para reduzir as chances de doenças cardíacas ou de derrame (AVC).

Em menos de um minuto você pode descobrir seus fatores de risco para o coração.

Conheça os principais sintomas que podem estar associados a doenças cardiovasculares.