Veja abaixo a nossa newsletter com matérias sobre saúde do coração e diabetes.

Tá na mídia

Para notícias internacionais e outros materiais, como infográficos, fotos e vídeos sobre o diabetes e outras áreas terapêuticas, visite o site global da Novo Nordisk clicando aqui (em inglês).

Matérias

Quem tem diabetes pode comer carboidratos? Sim, saiba como!

Confira dicas preciosas de como não deixar esses nutrientes vitais de fora do cardápio

Quem tem diabetes pode comer carboidratos?

Maneirar na ingestão de carboidratos para um melhor controle da glicemia é estratégia essencial para quem tem diabetes. Isso porque comer de forma excessiva alimentos com esse nutriente na composição pode elevar os níveis de glicose no sangue e, consequentemente, aumentar os riscos de eventuais complicações correlatas à doença.

Acontece que, apesar de parecer contraditório, carboidratos não podem ser totalmente eliminados do cardápio como muitos acreditam. Muito pelo contrário, precisam ser incorporados à dieta, com inteligência e moderação.

 

Importância dos carboidratos

A explicação para isso é bem simples: por fazerem parte do rol de macronutrientes (classe de nutrientes que engloba também as gorduras, as proteínas e a água), os carboidratos são substâncias vitais para o correto desenvolvimento e funcionamento do organismo.

Fontes de fibras, vitaminas e minerais, alimentos que contêm carboidratos formam a base de toda a pirâmide alimentar.1 Portanto, ingerir diariamente frações equilibradas de carboidratos é muito importante, inclusive para os pacientes com diabetes.

 

O que são, afinal, os carboidratos?

Considerados as principais fontes alimentares para obtenção de energia, os carboidratos desempenham diversas funções metabólicas no organismo.

Classificados em carboidratos simples e complexos, são facilmente encontrados em muitas das comidas e bebidas que consumimos, seja sob a forma in natura (verduras, legumes, tubérculos, frutas, cereais integrais etc.) ou de produtos derivados e processados (pães, embutidos, refrigerantes, queijos, sorvetes, bebidas alcoólicas etc.).

De modo geral, a baixa ingestão desses macronutrientes resulta em problemas para o sistema nervoso central e outros, até mesmo porque os carboidratos são responsáveis por propiciarem energia para o cérebro, medula óssea, nervos periféricos e eritrócitos (glóbulos vermelhos).

 

Como os carboidratos interferem na glicemia?

Sempre que carboidratos são ingeridos, são convertidos 100% em glicose (açúcar), fonte preferida de energia dos seres humanos. Por isso, embora bastante necessários para atender nossas necessidades energéticas, alimentos ricos em carboidratos exercem grande efeito sobre a glicemia, que nada mais é do que a concentração de glicose no sangue.

Em pacientes com diabetes essa ação é ainda mais intensa e prejudicial, já que a glicose não é absorvida como deveria por falhas na ação da insulina ou falta desse hormônio. E, então, acaba perigosamente se acumulando na corrente sanguínea.

 

E como sua falta prejudica o organismo?

Principal combustível para todas as atividades celulares do corpo humano, o baixo consumo de carboidratos pode gerar fadiga, dores de cabeça, prisão de ventre, dificuldades de concentração e até confusão mental. Além de prejudicar seriamente a saúde por deficiências nutricionais e aumentar as chances de hipoglicemias (glicemia baixa), sobretudo em quem toma insulina ou outros medicamentos que podem causar queda de açúcar no sangue.2

Em função disso, até mesmo pessoas com diabetes não devem eliminar os carboidratos da dieta3, mas sim introduzi-los em um contexto de alimentação saudável com a ajuda de um nutricionista, para fins de atender adequadamente as necessidades diárias do organismo.

Esse é um cuidado importantíssimo, pois concentrações adequadas de carboidratos podem melhorar a sensibilidade à ação da insulina.4

 

Confira como consumir carboidratos da forma correta

O Ministério da Saúde esclarece que a gestão dietética de carboidratos por pacientes com diabetes deve seguir recomendações semelhantes às definidas para a população geral.5

Segundo a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso), a divisão entre os macronutrientes para caracterizar uma dieta balanceada é a seguinte: proteínas de 15% a 20%; gorduras de 20% a 30%; e carboidratos de 55% a 60%.6

Anote outras dicas para não errar à mesa quando for consumir carboidratos:

1.     Consuma com bastante moderação carboidratos simples, pois são considerados de alto índice glicêmico (IG)7. Digeridos rapidamente pelo organismo, promovem picos de glicemia e podem levar à resistência insulínica que, por sua vez, pode evoluir para um quadro de diabetes tipo 2.8 Exemplos: açúcar de mesa, farinha branca, mel, açúcar do leite e das frutas, refrigerantes, sucos industrializados, doces em geral etc.;9-10

2.     Priorize os carboidratos complexos, pois se transformam em menos gordura, são excelentes fontes de fibras, de vitaminas e possuem baixo IG.7 Alimentos de baixo IG diminuem as chances de picos de açúcar no sangue, o que ajuda a manter os níveis de glicose mais estáveis. Exemplos: cereais e derivados (como milho, aveia, pipoca), leguminosas (como feijões, ervilha, lentilha, grão-de-bico e soja) etc.;9

3.     Alimentos integrais devem fazer parte do cardápio diário, pois contribuem para uma melhor qualidade de vida e são opções ainda menos danosas à glicemia.11 Exemplos: pães, arroz, macarrão e cereais integrais etc.;9

4.     Raízes e tubérculos devem ser consumidos em pequenas porções porque têm elevada concentração de carboidratos, ainda que complexos. Exemplos: mandioca (também chamada de aipim ou macaxeira), batata-doce, batata inglesa, batata baroa (mandioquinha), batata yacon, inhame, cará etc.;9

5.     Tenha uma alimentação rica em fibras, pois as fibras fazem com que a glicose presente nos alimentos seja absorvida de forma mais lenta, evitando que ocorram aumentos drásticos de açúcar no sangue.12 Exemplos: couve, agrião, feijão, grão de bico, ervilha, lentilha, mamão, abacate, goiaba, linhaça, chia etc.

6.     Invista em oleaginosas, alimentos ricos em gorduras boas e ácidos graxos que ajudam a melhorar o controle glicêmico em indivíduos com diabetes tipo 2. 13 Exemplos: nozes, amêndoas, amendoim, pinhão, avelã, castanha-do-pará etc.;

7.     Dê preferência às frutas frescas, com casca e bagaço. Todas as frutas são permitidas no diabetes, pois são fontes de fibras. Mas, por terem açúcar natural (frutose), devem ser consumidas em pequenas quantidades. A recomendação é de uma porção de fruta por vez no máximo 2 a 3 porções no dia;10

Em resumo, o segredo ao consumir carboidratos está na moderação, no equilíbrio e na variedade, ao passo que são incontáveis os alimentos com esse macronutriente. Tenha consciência alimentar, coma de tudo um pouco, busque sempre priorizar as versões naturais e integrais nas refeições diárias e seja feliz!

Nota Importante: O conteúdo deste site não substitui a necessidade de acompanhamento médico para fins de diagnósticos e aconselhamentos. Não desconsidere ou altere tratamentos orientados por profissionais da saúde, e busque por atendimento clínico sempre que necessário.

 

  1. Ministério da Saúde. NUT/FS/UnB – ATAN/DAB/SPS. Guia Alimentação Saudável. Disponível em https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/alimentacao_saudavel.pdf - Visualizado em 07/12/21.
  2. Associação Nacional de Atenção ao Diabetes (Anad). Disponível em https://www.anad.org.br/o-que-e-uma-dieta-low-carb-baixo-teor-de-carboidrato/ - Visualizado em 08/12/21.
  3. Universidade de São Paulo (USP). Os carboidratos e sua importância para o corpo humano. Disponível em https://sites.usp.br/rema/os-carboidratos-e-sua-importancia-para-o-corpo-humano/ - Visualizado em 09/12/21.
  4. UOL. Quem tem diabetes não precisa evitar carboidratos, mas prefira os integrais. Disponível em https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2021/09/24/pacientes-com-diabetes-devem-dar-preferencia-para-os-integrais.htm - Visualizado em 09/12/21.
  5. Ministério da Saúde. Disponível em https://www.facebook.com/minsaude/photos/aten%C3%A7%C3%A3o-ao-consumo-de-carboidratos-a-oms-n%C3%A3o-recomenda-dietas-com-concentra%C3%A7%C3%B5es-/1150363121648969/ - Visualizado em 07/12/21.
  6. Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso). Diretrizes Brasileiras de Obesidade. Disponível em https://minhasaude.proteste.org.br/alimentos-ricos-em-carboidratos/ - Visualizado em 08/12/21.
  7. Revista ABM - Associação Bahiana de Medicina. Entenda mais sobre o carboidrato: um nutriente essencial para a saúde. Disponível em https://www.revistaabm.com.br/artigos/entenda-mais-sobre-o-carboidrato-um-%20nutriente-essencial-para-a-saude - Visualizado em 13/12/21.
  8. Globo.com. Carboidratos simples e complexos: o que são e uma lista de alimentos . Disponível em https://ge.globo.com/eu-atleta/nutricao/noticia/carboidratos-simples-e-complexos-o-que-sao-e-uma-lista-de-alimentos.ghtml - Visualizado em 13/01/21.
  9. Manual de Nutrição - Departamento de Nutrição e Metabolismo da Sociedade Brasileira de Diabetes. Disponível em https://crn5.org.br/wp-content/uploads/2013/05/Manual-Calorias-Macronutrientes-e-Micronutrientes.pdf - Visualizado em 13/01/21.
  10. Associação Beneficente Síria - Hcor. Dicas de como manter a diabetes controlada. https://www.hcor.com.br/imprensa/noticias/14-de-novembro-dia-mundial-do-diabetes/ - Visualizado em 13/01/21.
  11. PROTESTE - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor. Alimentos ricos em carboidratos: saiba quais são. Disponível em https://minhasaude.proteste.org.br/alimentos-ricos-em-carboidratos/?amp - Visualizado em 13/12/21.
  12. Universidade de São Paulo (USP). Os carboidratos e sua importância para o corpo humano. Disponível em https://sites.usp.br/rema/os-carboidratos-e-sua-importancia-para-o-corpo-humano/ - Visualizado em 09/12/21.
  13. Medical Journal. Oleaginosas podem melhorar controle glicêmico de diabéticos. Disponível em https://www.news.med.br/p/medical-%20journal/560367/oleaginosas+podem+melhorar+controle+glicemico+de+diabeticos+revisao+sistematica+e+me%20ta+analise+de+ensaios+clinicos+randomizados+publicada+pela+plos+one.htm - Visualizado em 14/01/21.

Contato Imprensa

Approach Comunicação


Carolina Landi - carolina.landi@approach.com.br - Tel: +55 (21) 99462-2448

Matheus Steinmeier - matheus.steinmeier@approach.com.br - Tel: +55 (11) 96566-7194

Júlia Baptista - julia.baptista@approach.com.br - Tel: +55 (11) 97535-8165

Mariana Geraldine - mariana.geraldine@approach.com.br - Tel: +55 (11) 98932-1448

Fale sempre com seu médico.

Acompanhamento com seu médico de confiança e realização de exames regulares podem ajudar você a controlar o diabetes, além de colaborar para reduzir as chances de doenças cardíacas ou de derrame (AVC).

Em menos de um minuto você pode descobrir seus fatores de risco para o coração.

Conheça os principais sintomas que podem estar associados a doenças cardiovasculares.